• Mateus S. Santos

4 Trilhas Sonoras marcantes de Ennio Morricone

Atualizado: Ago 4

O mundo perdeu nessa semana um grande gênio da música, o maestro Ennio Morricone que faleceu ontem aos 91 anos. Seus principais trabalhos foram no cinema criando obras que entraram para o imaginário das pessoas e que hoje é difícil “descolar” quando se pensa em determinadas obras. O Freaks! separou 4 trilhas sonoras mais marcantes do maestro.


Por um punhado de dólares (1964)

Começando com uma das grandes obras de Morricone, “Por Um Punhado de Dólares” foi feito por Sergio Leone. Na época feito ainda com um baixo orçamento, foi um dos grandes filmes de Western italianos que mudaram a perspectiva do cinema sobre o gênero. O filme conta a história de um pistoleiro sem nome chega a San Miguel, uma cidade mexicana próxima à fronteira com os Estados Unidos. A cidade é dividida por duas gangues rivais, os Rojos, contrabandistas de bebidas, e os Baxters, de armas. Com apoio do velho Silvanito, ele se aproveita desta rivalidade para enriquecer, atuando para os dois grupos, ao mesmo tempo em que procura ajudar Marisol, forçada a ser amante de Ramón Rojo. Na época Morricone foi creditado pelo pseudônimo de Dan Savio para não afastar o público americano, que era muito pouco acostumado aos filmes de faroeste italianos. Ennio marcou aqueles que assistiram ao filme: um assobio marcante e uma guitarra elétrica totalmente peculiar, o resultado? Algo que mudou a maneira dos filmes de Western. Um fato interessante sobre a trilha foi que Morricone compôs as músicas antes do filme chegar a ser filmado, por conta disso, o diretor prolongava as cenas só para deixar a música do compositor tocar na íntegra.


Os Intocáveis (1987)

Um das grandes obras de sucesso de Brian De Palma que trouxe o primeiro e único Oscar do ator Sean Connery. Baseado no livro The Untouchables, livro de 1957, o filme é estrelado por Kevin Costner como o agente federal do Tesouro Americano Eliot Ness, Robert De Niro como o chefão da máfia Al Capone e Sean Connery como o oficial de polícia de Chicago Jimmy Malone. O filme segue o relato autobiográfico de Ness sobre os esforços dele e de seus Intocáveis ​​para colocar Capone atrás das grades durante a Lei Seca. Um daqueles filmes marcantes de máfia e polícia, típicos dos longas policiais dos anos 80. A música de Ennio traz uma seção de cordas que marca o ritmo dos gângsteres, uma trilha sonora épica, que levanta o trabalho do grupo especial de policiais encabeçado por Ness. Idealismo contra barbárie em uma mesma melodia de Morricone.


Três Homens em Conflito (1966)

O terceiro filme da Trilogia dos Dólares, queríamos listar os três aqui, mas para listar a essência de Ennio Morricone, Três Homens em Conflito é o filme certo. É em Três Homens em Conflito que o clima grandioso de Morricone chega ao máximo. O filme se passa durante a Guerra Civil Americana, onde um pistoleiro misterioso e dois estrangeiros decidem juntar suas forças para encontrar um tesouro escondido. Cada um dos homens conhece apenas uma parte da localização da fortuna, o que força essa parceria. O problema é que nenhum deles tem a intenção de dividir a riqueza. Seria impossível relembrar esse clássico sem ouvir a guitarra, o assobio, e aquele canto peculiar, que constroem o clímax de Três Homens em Conflito. É um verdadeiro clássico.


Os oito odiados (2015)

Chegando ao fim da nossa lista, um dos últimos filmes onde Morricone trabalhou. Depois de muito insistir com indicações ao oscar e chegar a ganhar uma estatueta honorária em 2007 foi em Os Oito Odiados, único filme de Tarantino que traz composições originais de Morricone, marcou por diversos motivos: ele foi o retorno de maestro ao seu amado gênero de faroeste, concretizou um desejo conhecido de Tarantino que queria trabalhar com Morricone além de representar a merecida vitória no Oscar de Morricone. Aos 87 anos, Morricone trouxe melodias intensas e marcantes para Os Oito Odiados, mostrando que mesmo depois de tanto tempo ele ainda tinha muito a dizer no faroeste.

4 visualizações