• Ana Luiza Moreira

Ele é Demais - Uma releitura que ganha demais ao inverter os papéis


Ele é Demais
Filme é divertido e bem rápido de se ver

Ele é Demais, novo filme da Netflix inspirado na clássica comédia romântica dos anos 90, foi lançado na última sexta-feira e eu tinha que conferir para falar sobre a obra aqui com vocês. Neste longa, temos uma influenciadora que aceita o desafio de transformar o maior perdedor da escola em rei do baile.

Um definitivo clichê! Mas será que este é dos bons?


Começo dizendo que o filme se beneficiou demais dessa troca de papéis, que deixa tudo um pouco menos machista e pautado na pressão estética. A grande mudança que acontece em Ele é Demais é focada nas atitudes do personagem, que passa a se abrir para os outros, entendendo que a vida pode ser melhor a partir do momento em que você se permite vive-la.

Outra coisa atualizada foi a questão das redes sociais, é claro que um post viralizar não é tão fácil como no filme e nós definitivamente não estamos a todo momento performando dancinhas do Tik Tok, mas existe toda uma pressão para aumentar o número de likes e seguidores online, além de sempre queremos mostrar a vida perfeita que ninguém tem. Nesses últimos exemplos, o filme manda muito bem e traz ótimas reflexões.


Confesso que achei algumas situações bem bobinhas ali no meio, mas acredito que seja por conta da minha idade ou por não ser mais 100% o público deste filme. Mas sabe uma coisa que compensa? Os atores, que são extremamente carismáticos e nos fazem querer acompanhar o desfecho completo.


Por fim, acredito que essa foi uma boa releitura e que tinha necessidade de existir sim. Por mais que não se torne um clássico como o antigo, vale a pena dar uma conferida.

2 visualizações0 comentário
  • Facebook
  • Instagram