• Ana Luiza Moreira

Freaks Indica: “Contos dos Novos Titãs” uma HQ supimpa dos anos 80

Fala Freaks! a indicação hoje é de uma HQ lindíssima, rápida e feita especialmente para você, fã de Jovens Titãs, Jovens Titãs em Ação ou até mesmo da trevosa Titãs.

As quatro HQs se complementam, mas as histórias de Novos Titãs também podem ser lidas separadamente

Confira os principais motivos para ler “Contos dos Novos Titãs”:


Acesso


São quatro HQs, que estão disponíveis online (dê seus pulos jovem herói) e mostram um acampamento da equipe, no qual descobrimos o básico sobre como os personagens vieram a se tornar os heróis de hoje.

Temos como personagens nos exemplares: Ciborgue, Estelar, Moça Maravilha, Mutano, Robin, Ravena e Kid Flash, mas as origens contadas são as de: Ciborgue, Ravena, Mutano e Estelar (os melhores Titãs em minha opinião).


Personagens não tão conhecidos e outros muito

Um bom motivo para ler a história é que nela temos o Kid Flash e Moça Maravilha que não eram tão mostrados nas adaptações animadas dos Titãs, então, essa é uma ótima oportunidade para você conhecer mais deles.

O quadrinho tem umas pequenas participações especiais de outros personagens da DC e algumas referências a cultura pop oitentista.


O ano de lançamento

Por ser de 86, é muito legal ver as artes da época e identificar o quão diferentes eram as roupas do heróis, o Ciborgue mesmo usava um uniforme que só poderia ser descrito como um body de colan.

Ainda por não ser deste século, temos diálogos com o uso de palavras como transada, saca e encabulada, deixando tudo ainda melhor.


Dá uma olhada nesse visual oitentista mara!

Questões sociais

É um quadrinho antigo e cheio de questionamentos jovens, tratando de dilemas com os pais, a imposição de sonhos que não são seus e como a criação de cada um de nós teve influência em nossas escolhas, traz boas reflexões sobre o assunto.

Ainda sobre questões sociais, assim como He-Man e outros desenhos antigos, é possível tirar lições de moral sobre amizade, cumplicidade e amor. O quadrinho me surpreendeu também ao explorar de forma inteligente temas como o racismo, a violência estrutural, a meritocracia e a liberdade de escolha.

Esse um quadrinho sem muita ação, criado mais para entendermos a relação do grupo, então pode ser um pouco chato para alguns, mas fascinante para quem gosta dos Titãs, recomendo muito a leitura!