• Ana Luiza Moreira

His Dark Materials apresenta temporada boa, mas com final morno (Crítica com SPOILERS)

Finalizada ontem, a segunda temporada de His Dark Materials definitivamente fez o final do meu 2020 mais interessante. Depois de um primeiro episódio que foi bom, mas nada além disso (como falei neste texto aqui) a série decola e apresenta outros 5 episódios incríveis e lindos de ver (o primeiro e o último são aceitáveis). Quando digo aqui que são episódios lindos de ver, me refiro principalmente a estética que é absurda! A cena dos espectros com a Marisa, dos anjos conversando com a doutora Malone e as da faca sútil sendo usada para cortar mundos são excepcionais, assim como a abertura nova da série.


Marisa Coulter a dona da série e proprietária das melhores cenas de His Dark Materials
Marisa Coulter a dona da série e proprietária das melhores cenas de His Dark Materials

Quanto ao roteiro e a montagem dos episódios, é possível identificar certos problemas. Alguns diálogos ou situações não tem muita emoção, como foi o caso da morte do Lee e do Jopari, que ao meu ver tiveram uma ótima trajetória durante a temporada mas morreram de um jeito bem "mé", que não me deixou triste por isso. Para mim, em ambos os casos o problema é a montagem dos episódios, que faz muitos cortes e nos tira da imersão da história, outro ponto é o roteiro, que poderia ter explorado mais os últimos minutos desses personagens. Mesmo assim, o que fizeram com a relação entre Lyra e Will é excepcional, em apenas sete episódios eu consegui entender a profundidade do relacionamento deles e também senti a separação da dupla neste fim de temporada, acho que esse é um grande acerto da série, que apesar de não ter aprofundado o núcleo das feiticeiras e nem o das crianças de Citàgazze, deu grande destaque e soube trabalhar bem seus protagonistas.


Will e Lyra são completamente opostos, mas encontram um no outro força para desvendar os mistérios de His Dark Materials
Will e Lyra encontram um no outro força para desvendar os mistérios de His Dark Materials

Falando em protagonismo, eu preciso falar dela, que rouba a cena em todo episódio: Mrs. Coulter é genial e sua história só fica mais intrigante. O que a Ruth Wilson faz nessa série é louvável e digno de aplauso, a atuação desta mulher só fica melhor e eu mal posso esperar para ver mais dela e de seu daemon na próxima temporada. Pois bem, em um balanço geral só posso dizer que gostei muito desta segunda temporada, que melhorou o roteiro consideravelmente em relação ao seu primeiro ano. Ainda há um longo caminho para que a série vire uma obra prima, mas eu confio em His Dark Materials. Com a confirmação de uma terceira e última temporada para o próximo ano, assumo que estou ansiosa e empolgada para a conclusão da história de Lyra.


5 visualizações0 comentário
  • Facebook
  • Instagram