• victorneres1993

Nana: O amor é uma droga

Olá, Freaks! Como estão? Hoje, terá muito drama aqui no site, pois o anime da vez é NANA (não confundam com Munou na Nana, pelo amor de Deus)!


Que saudades dos copos de morango... Preparem-se para fortes emoções


Nana é uma obra josei, ou seja, ela é direcionada ao público feminino adulto, mas isso não impede nós, homens, de assistir. Afinal, a série é muito boa e madura, agradando principalmente quem gosta de música, drama e romance.

O anime conta a história de duas jovens chamadas Nana (Nana Osaki e Nana Komatsu) que se conheceram em uma viagem de trem para Tóquio enquanto cada uma perseguia seu sonho. Nana Osaki quer fazer sucesso com sua banda de rock na capital, enquanto Nana Komatsu, ou Hachi, foi morar com seu namorado. Infelizmente, os planos de Hachi não deram certo e ela se viu obrigada a alugar uma casa, mal sabia ela que a moradia que mais agradou a menina sorridente era a mesma que caiu no gosto da roqueira e nova amiga, Nana Osaki. Depois de serem convencidas pelos corretores, elas decidem dividir o aluguel.


A história é contada de modo que pareça um diário das protagonistas


A história parece confusa, mas o enredo prende e quando você menos esperar, terá uma reviravolta. O anime mostra que o amor é sim uma droga (no sentido ambíguo da palavra), seja o amor de dois apaixonados ou de amigos.

Por ser uma série para adultos, ela contém cenas de picantes, logo, não assista perto de crianças. Além disso, mostra o quanto a Hachi, uma personagem aparentemente fútil, e a Nana, uma mulher com personalidade forte, possuem sentimentos em comum, apesar de serem muito diferentes.

O anime tem muitos episódios marcantes, mas um dos destaques é a cena em que a Nana sobe na mesa e faz um show musical particular para Hachi (com direito a luz da lua iluminando). Por falar nisso, as músicas também são um destaque a parte da animação.

E os holofotes não ficam só nas duas amigas. A trama apresenta vários personagens interessantes, cada um com a sua história e seu desenvolvimento. O conjunto todo é demais, inclusive, essa obra é uma das favoritas da apresentadora Mari Moon e deste que vos fala.

A má notícia é que a série teve um final improvisado, pois a criadora, Ai Yazawa, ficou doente e não conseguiu terminar o mangá. Ela já mudou até de profissão, então sem esperança de ver o termino dessa história.

É melhor parar essa indicação por aqui, senão vocês vão ler uma hora de texto, mas, se quer saber mais sobre a obra, tem um videozinho para complementar:

Já assistiu Nana? Se sim, me diga o que achou nos comentários. Até a próxima!!!

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
  • Facebook
  • Instagram