• Ana Luiza Moreira

O Esquadrão Suicida é sarcástico, sangrento e louco na medida certa! (COM Spoilers)


O Esquadrão Suicida
Elenco é grande, mas são poucos os que sobrevivem

Finalmente assisti O Esquadrão Suicida e que filme incrível! Não tenho condições de escrever sobre ele sem spoilers, então aviso que teremos muitos daqui para frente. Começo dizendo que essas foram 2h30 muito bem aproveitadas ao meu ver, pois a obra não fica cansativa em nenhum momento e é dividida em pequenas missões, dando mais dinamismo ao longa. Temos também muitas cenas de ação incríveis, uma trilha sonora no ponto e mortes, muitas mortes.

Outra coisa sensacional aqui é o humor, que mistura sarcasmo com piadas mais inocentes, algumas de cunho sexual e ainda tem uns momentos bem pastelões- uma blusa ou o jeito como um personagem corre muda tudo. Neste sentido, o Tubarão Rei rouba a cena o filme todo, e para esta fã de Harley Quinn Show, vê-lo interagindo um pouco com a nossa anti-heroína preferida foi um grande deleite.


Além dele, neste filme, que não é uma sequência do primeiro e também não o renega, conhecemos as próximas caras do universo DC, entre elas, Pacificador, Bloodsport, Ratcatcher e se Deus permitir, também veremos mais vezes a nossa maravilhosa Sol Soria que é interpretada pela dona do meu coração, que é chamada também de Alice Braga. O Esquadrão Suicida abre as portas para que esses sobreviventes apareçam em séries ou outros filmes, inclusive, estou curiosa para ver como lidarão com o Pacificador, que depois de matar o Rick Flag, perdeu um pouco do seu carisma ao meu ver.


Aliás, eu já exaltei a Harley hoje? Pois então exaltarei agora! Com as cenas mais lúdicas, artísticas e representativas, vemos aqui uma mulher que evoluiu profundamente e não se deixa levar por pressões em relacionamentos, isso sem falar que não há toda aquela sexualização desnecessária do primeiro filme. Eu gosto dos passos que estão tomando com a Harley no universo cinematográfico e espero que essa melhora continue.

O Esquadrão Suicida
Harley entrega simplesmente TUDO!

Agora sobre as coisas ruins, que na verdade nem existem, só queria comentar que muito se falou sobre a coragem de James Gunn para matar personagens, bom, eu não achei ela tão grande assim, visto que desde o começo da narrativa estavam desenhados aqueles que seriam importantes demais para acabarem descartados. Fora isso, queria mais contexto dos que se foram, acredito que somente o nome deles é pouco demais.


Bom pessoal, eu amei o filme e recomendo que assistam. Vale ver no cinema- se já estiver bem para isso- mas mesmo assistindo de casa, a experiência vale cada segundo do seu tempo.

3 visualizações0 comentário
  • Facebook
  • Instagram